Translate

quarta-feira, 10 de maio de 2017

1977-05-10 - Sobre os Exames a Nível Nacional - FEML

FEDERAÇÃO DOS ESTUDANTES MARXISTAS-LENINISTAS Organização do PCTP/MRPP para a Juventude Comunista Estudantil

Sobre os Exames a Nível Nacional

AOS ESTUDANTES DO LICEU D. JOÃO DE CASTRO:
Inserido nas suas medidas reaccionárias, o MEIC fez sair o despacho nº 6/77 sobre os exames nacionais.
Tal despacho — como as outras medidas do sr Cardia — causou nos estudantes o mais vivo repúdio. Os exames a nível nacional não visam mais do que reprovar o maior número possível de estudantes e impedir, ainda mais, o seu acesso ao Ensino Superior. Ele demonstra um total e propositado desconhecimento, por parte do MEIC, das situações concretas de cada escola. O sr Cardia e quejan­dos parecem não saber que as matérias são dadas as que o são de modo diferente de escola para escola e até mesmo de turma para turma na mesma escola; que as aulas começaram depois dos finais de Outubro; que houve turmas sem aulas durante meses a algumas disciplinas e que muitos dos livros para além de caros estão esgotados.
Assim algumas escolas do país (como dos liceus D. Dinis, D. Pedro V e de Vila Franca Xira e da Escola Comercial Patrício Prazeres) já aprovaram moções em que repudiam tal despacho por ser anti-pedagógico e anti-democrático, exigiram a sua revogação imediata e propuseram-se lutar pelos exames a nível de escola tomando como base os sumários dos livros de ponto; que todos os alunos possam candidatar-se aos exames de 2ª época sem impedimento de idade seja ou não para completar anos e que as aulas do próximo ano lectivo comecem a 1 de Outubro com todos os professores colocados.
Aliás, tais moções seguem-se a um Encontro Inter-Escolas, realizado a 26 de Março último no I.S. Técnico em que participaram escolas de todo o país, onde foi discutido o carácter reaccionário do Despacho e eleita uma Comissão de Luta encarregada de coordenar todo o processo.
A par deste movimento que começa a despontar contra os exames a nível nacional, que faz a Di­recção da Associação de Estudantes do liceu?
Mantem-se no silêncio e convoca uma reunião, dos estudantes do 5º e 7º anos. Porque razão a Direcção AE só convocou os estudantes do 5º e 7º Será que o problema dos exames não diz também respeito aos estudantes dos outros anos? É isto o "Servir os Estudantes e Nunca Servir-se Deles” da Direcção da AE? Ou pretendem estes srs "servir” os estudantes do 5º e 7º e servir-se dos alunos dos outros anos?
Aliás não é de estranhar esta posição, porque na última Assembleia de Delegados de Turma e quando um camarada nosso apresentou uma proposta para aí ser discutido o problema dos exames nacionais, os srs servidores da Direcção AE e seus "camaradas" da UDPide votaram contra, para além — e como é natural — dos fascistas do CDS/GEINM.
A reunião de 5º e 7º anos serviu só para que a Direcção AE se mascara-se — mas que má máscara — e aparecesse aos nossos olhos como estando contra o Despacho.
Devemos exigir da Direcção da Associação de Estudantes a convocação de uma RGA onde todos os estudantes do Liceu tomem uma posição massissa, uma posição de força contra os exames a nível nacional e todas as outras medidas reaccionárias do sr. Cardia.
- CONTRA AS MEDIDAS REACCIONÁRIAS DO MEIC!
- POR UMA AE DEMOCRÁTICA NA LUTA EM DEFESA DOS ESTUDANTES!
- VIVA A F.E.M.-L.!
- VIVA O P.C.T.P./M.R.P.P.!
                     
10/5/77
A CÉLULA DA FEM-L NO LICEU D. JOÃO DE CASTRO

Sem comentários:

Enviar um comentário