quarta-feira, 10 de maio de 2017

1977-05-10 - AOS TRABALHADORES DA SIDERURGIA - PCP(R)

AOS TRABALHADORES DA SIDERURGIA

O II Congresso do PCP(R) realizou-se num momento difícil na vida dos trabalhadores portugueses.
Estão a ser atacadas pela reacção e pelo capital as grandes conquistas dos trabalhadores (Reforma Agrária, Controle Operário, Nacionalizações a Movimento Sindical).
O avanço da reacção e facilitado pela traição de Soares e Cunhal.
O Governo de Soares trai os membros revolucionários da base do PS dirigindo o País a favor dos fascistas do PPD e CDS em oposição ao programa do seu partido.
Cunhal e a cúpula revisionista escondam-se a traz da bandeira do nosso velho querido PCP e do prestigio que os comunistas (nomeadamente Bento Gonçalves, Alfredo Dinis, Militão Ribeiro e José Gregório) alcançaram, para tentar conduzir os trabalhadores enganados a conciliação com o governo PS na já desmascarada "maioria de esquerda" servindo a politica do capital atacando os revolucionários e os dirigentes operários honestos, lançando a confusão e a divisão e levando o movimento a derrotas sucessivas.
AS TRAIÇÕES NA SIDERURGIA
A confusão, a divisão e as derrotas sucessivas, na nossa fábrica, estão bem marcadas na actuação dos dirigentes traidores e corrompidos que se comparam às das direcções dos órgãos representativos dos trabalhadores, não mais se alcançando regalias ou vitorias que se comparem às que os trabalhadores em luta dirigidos pelos revolucionários da 1ª COTPA alcançaram, apesar dos erros cometidos.
É longa a lista das traições cometidas pelos dirigentes cunhalistas instalados em COTRA e CISE e que arrastaram elementos honestos que lá se encontram a cometerem. São a conciliação com as indemnizações a pides a bufos contra os saneamentos revolucionários os aumentos a quadros técnicos (alguns comprometidos com o fascismo) contra o congelamento dos chorudos ordenados.
São ainda:
O desprezo pela vontade dos trabalhadores em obter 50% de subsídio de transporte.
O desinteressa com que esses Srs trataram o caso do posto medico.
O desleixo com que exercem o controle operário, deixando deteriorar as instalações levando a norte aos operários e a gravosidade a toda a fábrica deixando o campo aberto aos gestores para todas as manobras.
Merece destaque especial a traição à greve marcada para 5/4/77 para exigir ao governo anti-operário de Soares a revogação do despacho de autonomização da Siderurgia e a aplicação do CCTV dos metalúrgicos ã nossa empresa.
Se esta greve fosse para a frente faria o Dr. Soares engolir o despacho e abriria as portas para lutarmos ao lado dos metalúrgicos pela negociação e cumprimento do CCTV, mas traria problemas ao namoro dos Drs Soaras e Cunhal a isso (para esses Srs) está acima dos interesses dos trabalhadores. Para não estragar as negociações e o pacto social, para melhor servir o capitalismo, foi necessário a esses Srs desmobilizar a greve metendo medo aos trabalhadores com o papão da destabilização e do fascismo.
Também a luta espontânea dos destacados operários da Aciaria pelo pagamento do Domingo de Pascoa, que está previsto na nossa contratação como feriado, foi sabotada por esses Srs para evitar a destabilização da economia capitalista.

O MEDO DA DESTABILIZAÇÃO
Mas a Classe Operária não se deixa atemorizar pela destabilização.
O II Congresso do PCP(R) consciente da ameaça reaccionária e tendo confiança na capacidade de luta do nosso povo, quando conduzido por um verdadeiro Partido Comunista, saudou a grande ofensiva dos trabalhadores que nas empresas a nas ruas têm vindo a enfrentar as medi das anti-operárias do Governo de Soaras, contrariando a politica de paz social defendida por Cunhal, Sá Carneiro e Freitas do Amaral.

VIVA O II CONGRESSO DO PCP(R)
O II Congresso do PCP(R) aprovou à luz da realidade existente no nosso país, a linha politica antiquada para conduzir o nosso Povo a vitoria sobre o capitalismo, a  reacção o imperialismo e construir o socialismo.
É para expor ao Povo trabalhador, aos intelectuais revolucionários e sobretudo à gloriosa classe operária a sua linha politica revolucionaria, verdadeira continuadora da politica do nosso velho a querido PCP de José Gregório, que o PCP(R) leva a efeito o comício de encerramento do II Congresso, dia 17 às 15 horas no Campo Pequeno.
TODOS AO COMIGO DIA 17
OPERÁRIOS COMUNISTAS
OPERÁRIOS SOCIALISTAS
REVOLUCIONÁRIOS
A política do Partido Comunista não diz respeito só aos comunistas, mas sim a todo o Povo do País. Todos os democratas e antifascistas devem conhecer a política daqueles que abnegadamente lutam ao seu lado para conseguirem um país onde haja Pão, Terra, Liberdade e Independência Nacional.
Vem ao nosso comício e compara a política revolucionária que nos propomos levar a cabo com a política sem perspectivas que os Srs Doutores do teu partido fazem e que cada vez melhor compreendes não te levar a parte nenhuma.

O PCP(R) ESPERA POR TI,
VIVA O MARXISMO-LENINISMO!
VIVA A UNIDADE COMBATIVA DA CLASSE OPERARIA!
VIVA A ALIANÇA OPERÁRIA-CAMPONESA!
VIVA A UNIDADE DAS FORÇAS DEMOCRÁTICAS E PATRIÓTICAS!
EM FRENTE NA LUTA PELO 25 DE ABRIL DO POVO!

10 de Abril de 1977
A Célula do Partido Comunista Português (Reconstruído) da Siderurgia Nacional

Sem comentários:

Enviar um comentário

1977-06-00 - ER Boletim Nº 01

O QUE É E PARA QUE SERVE ESTE   BOLETIM Os militantes sem partido da Unidade Popular são um largo conjunto de militantes revolucioná...

Arquivo