Translate

segunda-feira, 1 de maio de 2017

1977-05-01 - Informação - ML - PCP-ml - Série I - Nº 08

PARTIU PARA A CHINA UMA DELEGAÇÃO DO COMITÉ CENTRAL DO PCP(M-L)
    Rumo a Beijing, deixou Lisboa a 29 de Abril uma delegação do Comité Central do PCP(m-l) chefiada pelo Secretário-Geral do Partido, camarada Heduíno Gomes (Vilar), que visitará a República Popular da China a convite do Comité Central do Partido Comunista da China. Na foto, a delegação no aeroporto da Portela.

VAI TER LUGAR A CONFERÊNCIA DE LISBOA SOBRE A AMEAÇA RUSSA
Com a participação de membros do PCP(m-l), CDS, PS e PSD e ainda do capitão Tomás Rosa e Dr. Proença de Carvalho, foi criado o Comité Nacional da Conferência de Lisboa sobre a Ameaça Russa. O Comité deu uma conferência de imprensa e divulgou um manifesto (ler o n.° 116 de Unidade Popular) com os objectivos da Conferência, para a qual serão convidadas personalidades de vários países da Europa e de várias posições políticas anti-sociais-imperialistas.
ASSIM VAI O PS: «MERDA PARA O SECRETARIADO!»
Uma das duas pessoas que o Secretariado do PS designou oficiosamente para integrar o Comité Nacional da Conferência de Lisboa sobre a Ameaça Russa foi a deputada senhora doutora dona Maria Emília de Melo, que, indignada por tal facto com o Secretariado do seu partido, o mandou à merda (e isto apesar do seu apelido poder sugerir uma esmerada educação na Suíça...). A dona Emília acres­centou que não se mistura com «gente da extrema-direita», entendendo por isso pessoas como o Chico da Cuf, Álvaro Guerra e outros que, dentro do PS, não fazem o jogo de Brejnev e Cunhal

25 MIL CONTOS PARA O SOCIAL-IMPERIALISMO
O governo PS conciliador com o social-imperialismo russo e seus lacaios cunhalistas parece estar disposto a financiar a nova sede do KGB em Lisboa, concedendo à sua quinta-coluna um chorudo empréstimo de 25 mil contos através da Caixa Geral de Depósitos. Para isto servem as economias e a vida de austeridade dos portugueses.

OTELO, HERÓI «DISCRETO» E «MODESTO»
Mais uma vez, por ocasião do 3.° aniversário do 25 de Abril, os fans do oco e fanfarrão Otelo vieram tentar convencer-nos de que o seu herói se manteve no anonimato durante meses após o seu papel no 25 de Abril de 1974. E a entrevistazinha que ele concedeu, feito «estrela», à televisão francesa ainda em Abril de 1974?

UM 25 DE ABRIL CHEIO DE BALADEIROS E MEDIOCRIDADES «ERUDITAS»
As comemorações do 25 de Abril na rádio e televisão foram afectadas pela insistência particularmente cansativa das mediocridades da nossa terra em matéria de música. Desde o baladeiro de Coimbra Correia de Oliveira ao pop José (arte em) Branco, desde o Rui Coelho, digno dos «serões para trabalhadores» da velha FNAT, ao burlão «musical» Lopes Graça, apareceram nas ondas a incomodar-nos os tímpanos. Com a agravante de ser, a 90%, propaganda social-fascista. É mais um exemplo de conciliação do governo como social-fascismo e da decadência da burguesia no domínio das artes.

A POSIÇÃO DO PC DA CHINA E DO PCP(M-L) SOBRE A CEE COINCIDEM
Os «super-revolucionários» do «PCP(R)»-UDP e comparsas acusam o PCP(m-l) de ser renegadíssimo por defender a unidade da Europa e a CEE como barreira a opor ao hegemonismo e em particular ao social-imperialismo russo. Ora o PC da China, que os rachados dizem (cada vez mais raramente) apoiar, faz exactamente a mesma análise que o PCP(m-l). Ver a este propósito um artigo publicado recentemente no n.° 15 de Pékin Information, que Unidade Popular reproduz no seu n.° 116, de 28 de Abril.

O CONCILIO «SUPER-REVOLUCIONÁRIO» EM LISBOA
Alguns chefetes «super-revolucionários» que em vários países servem de batedores ao social-imperialismo russo reuniram-se em Lisboa no passado dia 17 de Abril, a convite do chamado «PCP(R)», como de carreiristas e delatores na PIDE. Assim lançaram mais uma pedra para a sua «Internacional 4 1/2». Estes pretensos «marxistas-leninistas» «sanearam» Mao Zedong (que desta vez foi atacado particularmente pelo convidado austríaco) e pretendem substituí-lo, entre os clássicos do marxismo, por um «farolim», ou melhor, um «pisca-pisca» «super-revolucionário».

OS RACHADOS COMEÇAM A REBENTAR PELAS COSTURAS
A santa unidade dos cisionistas expulsos do PCP(m-l) em Março de 1974 com os trotskistas da URM-L e os bufos do CARP começa a dar de si. Conseguindo mobilizar jovens radicalizados, descontentes com o revisionismo, o «PCP(R)»-UDP transformou-se num recurso de Cunhal para mobilizar essa juventude. Mas às tantas as pessoas começam a ler a imprensa do PCP(m-l) — rigorosamente proibida —, começam a pensar um pouco pelas suas próprias cabeças e começam a pôr problemas, o que, somado ás rivalidades entre os carreiristas da direcção, provoca grandes dissensões internas.
Além da ala mendista, que acha que o partido dos rachados afinal é um bluff, um grande número de jovens que desperta coloca a direcção — também já dividida — perante questões sem resposta.
As questões são as seguintes: Se dizem que expulsam os bufos, porque é que ficam lá alguns? Dizem que são maoistas, então porque não põem Mao Zedong sempre junto aos outros clássicos? Não será o social-imperialismo russo o inimigo principal? Será Cunhal um simples reformista? Para quando a revolução em Portugal? Quem recupera o activismo é Cunhal ou o «movimento de massas»?
Quem coloca estas ingénuas mas reais questões é logo carimbado de «vilarista», escândalo tanto maior, quanto é certo que no partido dos rachados a imprensa do PCP(m-l) é verdadeiro tabu.

CARTA DO CC DO PCP(M-L) AO GRUPO VANGUARDIA OBRERA (1-4-1973)
Chamamos a atenção dos interessados em conhecer o passado pouco edificante do «super-revolucionário» Raul Marco e do seu intitulado «PCE(m-l)» para que leiam este documento publicado no n.° 116 do semanário Unidade Popular e também em brochura das Edições Seara Vermelha.

NOVOS TÍTULOS NAS EDIÇÕES SEARA VERMELHA
Foram postos à venda três volumes de Mao Zedong: Sobre Organização, Sobre Propaganda e as Dez Grandes Relações; Programa e Estatutos do PCP(m-l) aprovados no VII Congresso; de Heduíno Gomes (Vilar), Dois Anos a Contracorrente (informe ao VII Congresso); de J.A. Gusmão da Silva, Informe sobre as Relações Internacionais, apresentado ao VII Congresso.
Foram também postos à venda o n.° 28 da revista Estrela Vermelha e o n.° 8 da revista Seara Vermelha. (Distribuição: Prolibris, Av. 5 de Outubro, 146, r/c, Lisboa 1)

O PCP(M-L) AUMENTOU DE 50% OS SEUS EFECTIVOS EM 4 MESES
Os chefes rachados do «PCP(R)»-UDP pretendem fazer crer aos seus militantes na emigração que o PCP(m-l) não dura muito, «o máximo até 1979». A ver vamos. Entretanto, nos quatro primeiros meses de 1977, aderiu ao PCP(m-l) um número de militantes igual a 50% dos que possuía em 31 de Dezembro de 1976. E tu, se és comunista, o que esperas para aderir ao teu Partido? Para nos contactares, recorta o boletim ao lado, preenche-o e envia-o para o endereço indicado em baixo.

PEDIDO DE CONTACTO
Nome ___________
Profissão –
Morada –

PARTIDO COMUNISTA DE PORTUGAL (MARXISTA-LENINISTA). Av. 5 de Outubro, 293, Lisboa - 1 Tel. 76 93 88 • R. Fernandes Tomás, 648-2.°, Porto

Sem comentários:

Enviar um comentário