sexta-feira, 5 de maio de 2017

1972-05-05 - SALA DANIEL CABRITA - Sindicatos

REUNIÃO DE SÓCIOS DO S.N.E.B.D.L
— informação –

SALA DANIEL CABRITA, 5-5-72

Com a comparência de elevado número de colegas realizou-se na passada sexta-feira mais uma reunião de sócios, que decorreu com a seguinte ordem de trabalhos:
1  — INFORMAÇÕES
2  — ELEIÇÕES SINDICAIS

INFORMAÇÕES
1)   A reunião de sócios de 28/4 foi informada de que no Banco Totta Açores surgiu uma «modalidade nova» respeitante às faltas JUSTIFICADAS.
Consta esta «modalidade» do seguinte: o trabalhador falta, esta é justificada, por doença; posteriormente o serviço de pessoal através dum impresso próprio, pergunta se o trabalhador quer que lhe seja descontada a falta no vencimento ou nas férias.
A reunião perante este caso, decidiu contactar com o contencioso do n/ Sindicato, no propósito de esclarecer tal situação. Nesta reunião foi dado a conhecer o parecer do nosso contencioso que considera essencialmente o seguinte: De acordo com a cláusula 49 do CCT as faltas por doença (faltas justificadas) não podem ser descontadas nem na retribuição nem no período de férias, até ao limite de trinta faltas por ano. Por outro lado e segundo parecer da Comissão Corporativa homologado por despacho de 13 de Agosto de 1963, o empregado mesmo doente por longo tempo, tem sempre direito ao vencimento por inteiro, enquanto pertencer ao quadro.
2) Lido um telegrama que vem transcrito na circular da RA do Porto, dirigido ao Montepio Geral, como forma de protesto pêlo' despedimento abusivo do nosso colega LUÍS FRANCO. Para uma ampla divulgação eis o texto daquele telegrama:
«Bancários Porto reunidos seu Sindicato protestam contra despedimento abusivo seu colega Luís Franco Stop Duplamente, inadmissível este despedimento haja sido feito por Montepio (Associação de Socorros Mútuos) que só se justifica porque milhares de trabalhadores estão nele associados Stop Bancários Porto reclamam ponderação e reintegração Luís Franco Stop».
3)   Foi facultada por um colega, uma circular que as Associações dos Inquilinos de Lisboa e dos Inquilinos do Norte de Portugal, enviaram aos Sindicatos. Dada a importância de que o assunto focado nessa circular, se reveste para todos nós trabalhadoras, entendeu a Reunião divulgá-la, por este meio, na classe.
Ex.mos Senhores,
Quando seria lógico, depois do debate na Assembleia Nacional acerca do AVISO PRÉVIO sobre URBANISMO E HABITAÇÃO, que se começasse a procurar soluções do problema habitacional e à contenção das rendas de casa que atingem proporções da maior especulação, afectando profundamente a economia das famílias, surge, na mesma Assembleia Nacional, um projecto de lei que vem agravar extraordinariamente o problema, permitindo simplesmente novos e sucessivos aumentos.
E nada (se conclui quanto a medidas morigeradoras ou de contenção, concedendo-se à classe dos senhorios o maior privilégio, quando noutros domínios do comércio de necessidades fundamentais da espécie se introduz tabelamentos, preços fixos, etc.
Quando estas Associações emitiram para a Imprensa um comunicado levantando a gravidade do problema e apontando onde deveriam começar as soluções, a Censura proibiu a sua publicação.
São os Sindicatos os representantes legítimos dos interesses das classes que representam e não apenas os que se referem à sua actividade profissional, mas os seus interesses gerais, económicos e sociais. A categoria do locatário domina nas classes que representam.
Estas Associações solicitam o vosso apoio, a vossa solidariedade na defesa das classes arrendatárias, que são as classes trabalhadoras, fazendo convergir para o Governo e Assembleia Nacional a vossa voz, a vossa recomendação.
Igualmente esperam receber a v/ comunicação de posição neste grave momento em que urge erguer os direitos de quem vive em casa alheia, pagando.
Com os nossos cumprimentos.

A Associação dos Inquilinos Lisbonenses
A Associação dos Inquilinos do Norte de Portugal
Lisboa, 2 de Maio de 1972.

NOTA FINAL: O nosso Comunicado começou a aparecer nalguns jornais de Lisboa e da Província.
A Reunião achou conveniente protelar uma tomada de posição sobre tão delicado problema, até à eleição dos candidatos da lista da classe, que no seu programa incluem um estudo e projecto de actuação sobre o mesmo.
ELEIÇÕES SINDICAIS
1) COMISSÃO DE PROPAGANDA ELEITORAL
Um colega em representação desta comissão, teceu algumas considerações sobre os objectivos da mesma, que se traduzem pela incentivação ao voto, pelo esclarecimento técnico do acto eleitoral, bem como, todo o apoio necessário à lista da classe.
Nesta conformidade, foram salientados por aquele colega alguns aspectos decorrentes do acto eleitoral, cuja divulgação se torna necessária:
— Vão ser imprimidos 20 mil votos para cada um dos órgãos;
— Os votos serão enviados para os locais de trabalho, endereçados ao delegado do Sindicato, ou aos empregados, caso não haja delegado;
— Os votos vão ser enviados entre 8 e 13 de Maio;
— Nas mesas de Lisboa haverá votos suficientes para satisfazer os eleitores que não os tragam, (no entanto devem vir todos munidos dos respectivos votos);
— Haverá quatro mesas de voto em Lisboa, e uma em Setúbal e Santarém;
— Em Setúbal e Santarém depois do encerramento da mesa (24 horas) os votos serão contados. O presidente da mesa ou outra pessoa designada para o efeito, deslocar-se-á de imediato a Lisboa para entregar os votos na sede do Sindicato;
— Para as outras zonas da Província que não têm mesa de voto, este, deverá ser enviado para a sede do Sindicato, por correspondência; no entanto, sobre esta forma de votação oportunamente serão fornecidos mais detalhes;
No acto de votar os eleitores devem possuir o cartão do Sindicato.
2)  INTERVENÇÃO DUM CANDIDATO:
Ao pronunciar-se, um, dos candidatos revelou estar confiante na participação dos colegas no acto eleitoral, que em seu entender, têm plena consciência do significado que viria a assumir um votação «record».
Anunciou ainda que os candidatos estarão à disposição dos Colegas nas duas próximas reuniões de sócios, para debater pontos do programa ou qualquer outro que se entenda dever esclarecer.

OS ASSOCIADOS

SEXTA-FEIRA, DIA 12 — PRÓXIMA REUNIÃO, AS 19 HORAS COMPARECE

Mirandela & C.ª — 6.000 ex. — 9/5/72

Sem comentários:

Enviar um comentário

1977-06-00 - América Latina Nº 01 - CALPAL

PLATAFORMA DO COMITÉ DE APOIO ÀS LUTAS DOS POVOS DA AMÉRICA LATINA I - PREÂMBULO Os povos da América Latina vivem sob regimes dita...

Arquivo