Translate

segunda-feira, 17 de abril de 2017

1977-04-17 - VIVA O 1° DE MAIO - PCTP/MRPP

Partido Comunista dos Trabalhadores Portugueses (PCTP/MRPP)

VIVA O 1° DE MAIO

DIA MUNDIAL DA CLASSE OPERÁRIA
EM FRENTE COM UMA GRANDE CAMPANHA DE FUNDOS PARA O 1° DE MAIO!

Aos secretários dos Comités e células do Partido
A todos os camaradas

Camaradas:
Aproxima-se a passos largos, a data gloriosa do lº de Maio, o Dia Mundial da classe operária, um dia de luta e de festa de todos os explorados e oprimidos.
O 1º de Maio organizado pelo nosso Partido, é já uma tradição e ganhou raízes profundas, entre as massas operárias e populares, e granjeou entre elas um grande apoio e carinho.
O nosso Partido, prepara-se para mobilizar as massas, e organizar o povo para festejar o 1º de Maio deste ano, um lº de Maio de luta, contra as medidas reaccionárias do Governo, contra a fome, a miséria e o desemprego, contra a traição revisionista, o lº da Maio autónomo, radicalmente antagónico, com o "lº de Maio” que a burguesia, através os seus partidos e organizações que controlam, principalmente sindicais, (Intersindical e Carta aberta] se prepara para organizar na tentativa de iludir o Povo e desarmá-lo na sua luta.
O lº de Maio Vermelho deve ser uma grande e importante realização de massas. Neste lº de Maio e atendendo à situação actual, combinar-se-ão um certo número de realizações locais, com uma grande realização central no Rossio, terminando tudo numa grande manifestação. Umas realizações de tal envergadura, exigem, como todos os camaradas facilmente se aperceberão, uma grande quantidade de fundos, que custeie todas as despesas de propaganda, etc.
Sem fundos, não se pode organizar o lº de Maio. É o objectivo desta circular, tratar com os comités e células do Partido e com todos os camaradas o problema dos fundos para o lº de Maio.
O Partido tem estado empenhado na preparação e organização da I Conferência Nacional sobre o Trabalho Sindical, a qual termina os seus trabalhos, hoje dia 17 de Abril. Devemos ver que de hoje, até ao lº de Maio vão exactamente duas semanas, isto é o tempo que temos para o preparar. Não podemos, portanto, perder um minuto.
Deve ser combatida firmemente, toda a tendência para adormecer, para “escançar" depois da Conferência. Pelo contrário, todos os camaradas se devem, armar do espírito de Partido elevado e duma grande vontade de combate, que seguramente a Conferência, atiçará em nós, para arrancar em força, LOGO NA SEGUNDA-FEIRA, na preparação do lº de Maio.
A preparação do lº de Maio, terá de arrancar desde já numa série de frentes. No entanto, esta circular visa essencialmente tratar o problema dos fundos, e chamar a atenção de todas as organizações e todos os camaradas, para que sejam de imediato tomadas medidas neste campo. Alertamos os camaradas para que, se não se cuidar desde já da recolha e centralização duma grande quantidade de fundos, isso causará problemas na preparação do lº de Maio, e levantará dificuldades que se forem tomadas agora medidas serão evitadas.
O Problema é que se não tivermos os fundos, não pode sair a propaganda, não se podem alugar as salas, etc.
Deve ser combatido o ponto de vista que subestima o problema dos fundos, que levanta toda a série de falsos argumentos para dizer que "não se consegue", ou que pura e simplesmente não liga aos problemas das finanças, achando que a anarquia financeira deve ser mantida e não se deve pôr ordem neste campo.
Todas as organizações do Partido, devem ter em conta, que existem realizações locais e realizações centrais que devem ser correctamente combinadas, e que as organizações do Partido devem custear ambas, devendo por isso ter essa situação em conta nos seus planos.
A Comissão de Organização do lº de Maio, não pode ainda fornecer a todas as organizações, os quantitativos de fundos exactos que lhe serão atribuídos, dado que isso obedece ao Plano de conjunto. Em princípio esses números serão fornecidos a todas as organizações, conjuntamente com outras indicações sobre a preparação do lº de Maio na próxima terça-feira l9 de Abril.
No entanto, na base da experiência que já têm as organizações de_ vem PREVER (ainda que arredondadamente) as quantias que lhe serão atribuídas e começar a trabalhar nessa base. Depois de receberem o Plano Central farão os devidos ajustamentos , caso os haja a fazer.
Todas as organizações do Partido devem começar, já amanhã, segunda feira a recolher fundes para o l de Maio, com grande recolhas entre as massas, nas fábricas, nas empresas, por bairros, porta-aporta, Seguem também em conjunto "Folhas de Fundos”, que devem ser distribuídas a todos os militantes e simpatizantes, devidamente controladas e centralizados regularmente esses fundos.
Fazer da semana que agora entra uma grande campanha de fundos para o lº de Maio, mudar o aspecto das Sedes e Delegações, fazê-las sentir o lº de Maio, afixar cartazes sobre O lº de Maio, cartazes pedindo fundes, discutir o lº de Maio e a sua preparação em todas as organizações. Os secretários devem-se empenhar a fundo neste trabalho.
Para satisfazer as necessidades em fundos para a preparação do lº de Maio, os militantes e simpatizantes, aderentes e as massas devem ser chamados a dar "uma contribuição especial para o lº de Maio”. Para tal será também impressa uma folha apropriada.
Todas as organizações devem estar preparadas para fazer uma primeira entrega de fundos à Comissão Organizadora, até à próxima quinta feira 21 de Abril as 24 horas, e fazer outra entrega até domingo 24 de Abril às 24 horas.
Em próxima circular serão indicadas as medidas e tarefas de uma forma mais concreta. No entanto; a partir desta circular, nenhum secretário, nem nenhum camarada pode evocar a "sua ignorância", como tantas vezes tem acontecido para "justificar” o não cumprimento das tarefas. Nenhum camarada pode dizer que "não sabia", que há O lº de Maio dia de luta e de festa da classe operária, ou que "não sabia” que ele tem de ser preparado desde já, nem que "não sabia” que são preciso fundos para a sua organização.
Animados de um elevado espírito de Partido, à saída da I Conferência Nacional sobre a Trabalho Sindical, e dispostos a travar mil combates vitoriosos, arregacemos as mangas para fazer da jornada do lº de Maio uma grande manifestação de luta e de festa da classe operária e de todos os explorados e oprimidos.
COM FORÇA AO TRABALHO.

VIVA O lº DE MAIO!
VIVA O INTERNACIONALISMO PROLETÁRIO!
VIVA A CLASSE OPERARIA!
VIVA O PCTP!

Lisboa, 17 de Abril de 1977
A Comissão Organizadora do 1º de Maio

Sem comentários:

Enviar um comentário