Translate

sexta-feira, 14 de abril de 2017

1972-04-14 - ESTUDANTE! sabes porque e por quem vais tu morrer nas colónias? - MPAC-CLAC's

ESTUDANTE!
sabes porque e por quem vais tu morrer nas colónias?

Carlos Alberto M. M. de Oliveira - alferes mil. abatido em Angola.
João Afonso Abreu — alferes abatido na Guiné:
Rui Manuel F. B. de Freitas - alferes mil. abatido em Moçambique
Hernâni Ferreira Borges - alferes mil. abatido em Moçambique
Francisco Lopes G. Barbosa - alferes mil. abatido na Guiné.

Estes homens eram oficiais do exército colonial-fascista e morreram na ignominiosa a guerra colonial-imperialista de destruição rapina e assassínio dos povos oprimidos das colónias. Eles foram incorporados à força ao exército colonial-fascista — assim como tu serás em breve — foram treinados e armados pela burguesia, que os educou no ofício de matar, que os mobilizou e enviou para as colónias para ajudarem a levar a cabo a criminosa guerra de agressão aos gloriosos povos coloniais.
Eles foram colaborar nos massacres de milhares de trabalhadores africanos no assassínio dos gloriosos patriotas de Angola, Guiné e Moçambique, que, assimilando a verdade universal de que "o poder está na ponta da espingarda", lutam de armas na mão contra a opressão, a exploração e a agressão armada colonial-imperialista da burguesia portuguesa e dos seus patrões internacionais.
Eles morreram por uma causa injusta!
Porque é injusta a guerra que visa manter a dominação é a exploração de um povo por outro povo.
Porque é injusta a causa que pretende estrangular as legitimas aspirações de um povo oprimido à autodeterminação, à separação e à completa independência política, económica e cultural.
Porque é injusta a guerra que pretende destruir os gloriosos movimentos populares e libertação nacional dos povos oprimidos das colónias, que conduzem a sua heróica luta contra o colonialismo e o imperialismo, pela liberdade e independência nacional.
Porque é injusta a guerra que não visa senão a manutenção e, intensificação da exploração dos povos coloniais, a sua escravização e a rapina das suas riquezas naturais.
Eles morreram pela defesa dos interesses coloniais da burguesia!
Eles morreram para assegurar aos grandes banqueiros, aos grandes industriais, dos grandes comerciantes os chorudos lucros e as espantosas riquezas provenientes do saque colonial dos povos de Angola, Guiné e Moçambique.
Eles morreram para permitir aos grandes grupos de capitalistas internacionais continuassem a devorar calmamente a ensanguentada presa colonial em que ferraram as suas odientas mandíbulas, deixando cair algumas pródigas migalhas aos seus fiéis lacaios a burguesia colonial-imperialista portuguesa.
Eles morreram para dar à burguesia a possibilidade de continuarem a oprimir e a explorar o povo trabalhador português.
Eles morreram para assegurar à burguesia os sobrelucros que lhe permitem alimentar o oportunismo, o revisionismo e todos os seus destacamentos avançados infiltrado no seio do povo.
Eles morreram para dar à burguesia as riquezas essenciais à manutenção das odiosas forças da opressão e repressão do Povo, nelas se incluindo o próprio exército colonial-fascista, alimentando toda a corja de vadios da PIDE, PSP, GNR, GUARDA FISCAL, LEGIÃO e toda a cáfila de bufaria e provocadores ao seu serviço.
Numa palavra, estes “distintos" oficiais fascistas combateram e morreram nas fileiras da reacção mundial, nas fileiras dos inimigos de todos os povos do mundo, nas fileiras dos assassinos internacionais que visam, por toda a parte, combater e destruir os movimentos de libertação nacional dos povos das nações oprimidas e colonizadas, nas fileiras do imperialismo!
Tu, estudante, que vais ser incorporado às fileiras do exército colonial-fascista, irás desempenhar o mesmo papel que estes esforçados oficiais fascistas, que assassinaram e morreram; pelos interesses coloniais da burguesia, contra a liberdade e completa independência dos povos de Angola, Guiné e Moçambique.
No exército colonial fascista tu irás defender os interesses de classe da burguesia portuguesa - diametralmente opostos aios interesses do Povo. Tu irás reprimir o Povo trabalhador português e assassinar os povos irmãos das colónias!
Resiste por todas as formas à máquina de guerra colonial-fascista, de dentro mesmo do próprio exército colonial-fascista!
Recusaste a colaborar directa ou indirectamente, na criminosa guerra colonial-imperialista
Deserta! Não vás para as colónias! Recusa-te a embarcar!

ABAIXO A GUERRA COLONIAL-IMPERIALISTA!
VIVA A GRANDE, GLORIOSA E JUSTA INSURREIÇÃO POPULAR ARMADA DE LIBERTAÇÃO NACIONAL DOS POVOS OPRIMIDOS DAS COLÓNIAS!
VIVA O INTERNACIONALISMO PROLETÁRIO!
VIVA O MOVIMENTO POPULAR ANTI-COLONIAL (MPA-C)!
VIVA A RESISTÊNCIA POPULAR ANTI-COLONIAL (RPA-C)!
VIVAM OS CLACs!

guerra do à guerra do à guerra colonial-imperialista

CIAC 4 de FEVEREIRO (Comité de Luta Anti-Colonial)
14/4/72

Sem comentários:

Enviar um comentário