Translate

terça-feira, 21 de março de 2017

1977-03-21 - Contra o aumento custo de vida - MDM

Contra o aumento custo de vida

Somos mulheres trabalhadoras e donas de casa do Distrito de Braga que querem manifestar a sua preocupação e alertar todas as mulheres para os problemas que, como mulheres, cada vez mais nos afligem.
Dentro desses problemas aquele que, sem dúvida, nos traz mais preocupadas, e que sem ser só nosso, somos nós quem mais o sentimos, é o galopante aumento do custo de vida que, dia a dia, nos vai criando uma situação difícil e amarga.
Ao vermos os preços da carne, do peixe, dos legumes, das batatas, da electricidade, etc., etc., atingirem preços que só os ricos é possível suportar e ao vermos a falta sistemática de produtos essenciais, que logo aparecem a preços proibitivos, não podemos deixar de nos perguntar: Por que é que isto acontece? Quem lucra com esta situação? Em nome de que interesses se enganam os trabalhadores?
O que se passa com o Cabaz de compras é bem elucidativo.
Anunciado para Janeiro, a sua entrada em vigor tem vindo sucessivamente adiada e a descrença nesta iniciativa é já total por parte dos trabalhadores. O Cabaz de Compras não só não contém produtos essenciais como carne fresca, rendas de casa, calçado, vestuário, medicamentos, etc. como o Governo está à espera que todos os produtos subam para depois os «congelar» (e isto só em relação a alguns, porque relativamente a muitos deles promete que os irá «vigiar»). O Cabaz de Compras que nos é apresentado é uma afronta para o povo trabalhador e nós, mulheres, sentimo-lo mais que ninguém, quando queremos alimentar a família, especialmente as crianças, e ficamos limitadas aos géneros de pior qualidade, mas de elevado preço, e uma lista tão reduzida que nos será impossível conseguir o mínimo equilíbrio na alimentação e impedir que os nossos filhos sofram de grandes privações.
A recente desvalorização do escudo irá ainda agravar mais esta situação, os preços irão subir e o poder de compra dos trabalhadores ficará ainda mais reduzido.
No tempo do fascismo como sempre em que à frente do Ministério do Comércio Interno estiveram homens que nunca defenderam os interesses das classes mais desfavorecidas, sentimos bem os efeitos da política então praticada de defesa dos interesses dos intermediários dos especuladores, dos açambarcadores, dos grandes capitalistas, e das grandes negociatas.
Hoje, quando vemos estarem a ser defendidos os mesmos interesses dizemos clara e abertamente — NÃO! e reclamamos uma verdadeira política de defesa dos interesses dos trabalhadores, da democracia, das conquistas do 25 de Abril.
O verdadeiro congelai lento da contratação colectiva, os despedimentos, as repressões que, em vários casos, se têm feito sentir sobre os trabalhadores, ao mesmo tempo que são protegidos pides e bombistas, a ausência de medidas que visem defender os direitos da Mulher e resolver alguns problemas fundamentais como o dos filhos, da assistência médica, da promoção profissional e outros, são igualmente questões que nos a afectam profundamente que não podemos deixar de levantar no ENCONTRO UNITÁRIO DAS MULHERES TRABALHADORAS DO DISTRITO DE BRAGA. Que se realiza no dia 27 de Março pelas 15,30 horas no INATEL.

Todos ao grande Encontro Unitário de Mulheres do Distrito de Braga
Operária! Empregada! Intelectual! Donas de Casa!
Luta em defesa dos teus direitos! Participa activamente comparecendo ao Encontro.
CONTRA O AUMENTO DO CUSTO DE VIDA!
Em defesa dos direitos da Mulher e de rodo o povo, em defesa das conquistas do 25 de Abril!
Dia 27 Março, pelas 15,30 horas, na Sala do INATEL

ASSINATURAS
Lúcia Ribeiro Barros — delegada sindical
Maria Gonçalves — delegada da Associação ref. Fafe
Bernardina Gonçalves Castro — Operária Têxtil
Rosa de Sousa — operária têxtil
Ivete Gonçalves de Castro — doméstica
Maria Emília Oliveira — costureira
Florinda Rodrigues — delegada sindical
Maria Isabel M. P. Bastos — intelectual
Maria Ermelinda Sampaio — delegada sindical
Balbina Maria P. S. D. Pimenta — empg. escritório
Maria da Glória Ribeiro Faria — Operária confecções
Maria Alves Dias — doméstica
Claudina Eduarda P. S. Dias — Parteira/enfermeira
Maria dos Anjos da Cunha — reformada
Balbina Silva Alves Pimenta — Operária têxtil
Maria do Rosário Alves Pereira — Operária têxtil
Maria José Ribeiro Oliveira — Operária têxtil
Maria Emília Ribeiro Machado — Operária têxtil
Maria Benvinda Machado Lemos — Operária têxtil
Palmira Filomena Silva Martins — Operária têxtil
Maria Adelaide Silva Martins — Doméstica
Maria Açucena Matias das Neves — prof. ens. Secund.
Maria Pereira — reformada
Maria de Fátima Guimarães da Silva — doméstica
Maria Fernanda Abreu Sampaio — empg. escritório
Maria Aurora Sousa Antunes — cartonageira
Maria Laura M. B. M. V. Castro — prof. ens. Secund.
Maria da Silva — doméstica
Alice Fernandes Pereira Costa — operária têxtil
Rosa Emília — empg. banco
Maria Amélia Mendes Oliveira — Cravadeira
Rosa da Cunha Oliveira — Operária de Calçado
Maria Albertina X. F. F. Monteiro — Operária têxtil
Lurdes Vaz Costa — Operária têxtil
Amélia Vieira Machado — operária têxtil
Maria Isaura Ribeiro Carvalho — operária têxtil
Maria da Conceição Pinheiro Cunha — operária têxtil
Ana Belmira Arade Bravo Vilaça — empg. escritório
Teresa de Jesus F. Silva Rodrigues — empg. escritório
Josefa Maria de Faria — reformada
Maria da Silva Marques — reformada
Maria José Leite de Oliveira — operária têxtil
Joaquina Lopes de Faria — doméstica
Emília da Silva Castro — doméstica
Josefa Ferreira de Freitas — reformada
Maria de Lourdes Pereira Costa — reformada
Maria Augusta dos Santos — Aposentada
Ana Maria F. Ferreira Lopes — Prof. Primária
Maria da Conceição Silva Martins — operária têxtil
Maria de Jesus Silva Martins — operário têxtil
Maria de La Sallete O. Cardoso — operária têxtil
Maria Eugênia Guedes Pereira — operária têxtil
Maria Teresa R. B. T. Silva — Desempregada
Rita Carolina Silva Gonçalves — Doméstica
Maria da Graça A. F. — funcionária pública
Alaíde Aurora M. C. Luz — Comerciante
Maria Virgínia V. Silva — delegada Sindical
Maria Constança V. Almendra — Operária vestuário
Maria Arminda V. Almendra — Operária vestuário
Maria Conceição F. de Sousa — operária vestuário
Maria Anjos Silva Correia — operária vestuário
Margarida Magalhães — Dirigente Sind. Vestuário
Helena Maria Vieira Gonçalves — operária vestuário
Rosa de Jesus C. A, Silva — doméstica
Maria Fernandes G. Antunes — operária têxtil
Maria Filomena Pereira Fernandes — operária têxtil
Ângela Conceição Marques Mota — operária têxtil
Emília da Conceição M. Mota — operária têxtil
Aida Maria Ribeiro Peixoto — operária têxtil
Maria do Sameiro Vale — enfermeira
Laura Ferreira dos Santos — enfermeira
Maria Belém Castro — reformada
Maria Adelaide Jesus Oliveira — doméstica
Maria Pereira — doméstica
Emília Maria da Costa — reformada
Maria Amélia Costa — reformada
Rosa de Castro — reformada
Antónia Arminda Monteiro — têxtil
Flor de Fátima L. Carvalho — doméstica
Emília da Costa Novais — doméstica
Maria da Conceição F. G. Freitas — operária têxtil
Ana Maria Sampaio Oliveira — operária têxtil
Maria Isabel O. Fernandes — operária têxtil
Maria Conceição S. Ribeiro — operária têxtil
Ana da Conceição Machado Ferreira — operária têxtil
Maria da Graça Silva Reis — doméstica
Joaquina Pereira da Cunha — doméstica
Eva Maria Salgado Abreu — operária têxtil
Maria Madalena Silva — operária têxtil
Maria Augusta Alves Melo — operária têxtil
Maria Alberta Faria Fernandes — operária têxtil
Maria Rosa S. Oliveira — operária têxtil
Maria da Conceição A. Costa — operária têxtil
Glória de Jesus Araújo Silva — operária têxtil
Maria Eduarda Gonçalves Pereira — operária têxtil
Rosa de Oliveira — operária têxtil
Rosa da Graça Cunha Costa — operária têxtil
Maria Manuela Guerreiro — prof. ensino Secundário Lília
Maria Guerreiro — prof, ensino Secundário
Maria Luiza Caeiro — prof, ensino Secundário
Felicidade Freitas Mendes — delegada sindical
Maria Adelaide Ribeiro Alves — operária têxtil
Amélia Gonçalves Martins — operária têxtil
Maria Lopes Dinis — operária têxtil
Maria Augusta O. Lemos — Dona de Casa
Maria Ondina Coutinho — dirigente sindical têxtil
Maria da Conceição C. G. Santos — Dona de casa
Rosa Rodrigues Monteiro — delegada sindical
Maria Orlanda Barros C. Veloso — Operária
Cândida M. P. Machado — delegada sindical
Maria Fernanda M. S. Antunes — Operária confecção
Rosa Martins Pereira — operária têxtil
Ainda há mais assinaturas.

20.000 ex. - 21-3-77

Sem comentários:

Enviar um comentário