Translate

quarta-feira, 8 de março de 2017

1977-03-08 - COMEMOREMOS O 11 DE MARÇO - PCP(R)

COMEMOREMOS O 11 DE MARÇO
CONTRA O FASCISMO
UNIDADE POPULAR

À CLASSE OPERÁRIA DA NOSSA REGIÃO!
A TODOS OS ANTIFASCISTAS PATRIOTAS E DEMOCRATAS!

CAMARADAS:
A 11 de Março de 1975, a gloriosa classe operária e o povo pobre de Portugal escreveram mais uma página brilhante na história da sua luta pela liberdade.
Com o 25 de Abril, o povo não deixou de ser explorado, é certo, mas partiu alguns dos sustentáculos que permitiam aos tiranos destruir as nossas organizações, silenciar pela morte ou nas masmorras da pide as nossas vozes de protesto, matar e mutilar em África, tudo em nome do "progresso da Nação".
O povo sabia bem que não era assim, tinha sofrido durante 48 longos anos a fome e a humilhação imposta pelos "grandes" senhores, tinha visto morrer-lhe os filhos e os maridos numa guerra assassina, sabia que nas mãos dos terroristas da PIDE estavam alguns dos seus mais abnegados servidores.
Foi por saber isto que nos dias 25 de Abril e 1º de Maio de 1974, veio para a rua gritar com raiva; fascismo nunca mais.
Foi por isso que procurou por todo o lado os pides e ou­tros dos seus mais ferozes inimigos, e exigiu justiça.
Foi para defender e avançar em novas conquistas que por todo o lado a classe operária e o povo se organizaram nos sindicatos, comissões de trabalhadores, comissões de moradores, etc.
Este vigoroso movimento demonstrou claramente a capacidade de organização e luta do nosso povo, deixou claro à burguesia e ao imperialismo que não se deixaria enganar pela sua demagogia, e lutaria com todas as suas forças para não mais viver de joelhos.
Aterrorizada, vendo perigar os seus privilégios, a burguesia e seus lacaios prepararam um golpe que banhasse o povo em sangue e repusesse a "velha ordem".
Derrotada que foi a primeira tentativa em 28 de Setembro, lançaram-se na preparação do 11 de Março, com o bandido Spínola a cabeça e o apoio do imperialismo, atacaram raivosamente o RALIS, unidade militar que se havia posto ao serviço do povo pobre.
Nesse criminoso ataque assassinaram um filho do povo, o soldado Luís.
Foi de novo a vigilância das massas populares, a sua indignação por este atentado as liberdades conquistadas que forjou a grande unidade popular e esmagou o golpe.
É verdade que a vontade de unidade e luta do povo foi muitas vezes aproveitada por oportunistas e traidores sem escrúpulos para arranjarem lugares no poleiro da burguesia, que mais facilmente lhe permitissem apunhalar pelas costas a nossa heróica classe operário e o povo pobre.
Hoje, fruto das constantes manobras e traições contra a unidade e luta do povo, fruto do terror fascista a quem os sucessivos governos foram abrindo as portas, as conquistas populares estão cada vez mais ameaçadas.
Mas está bem claro que a classe operária e o povo não vergarão jamais perante nada nem ninguém. A provar esta verdade vemos:
- A luta dos têxteis, metalúrgicos, construção civil, conserveiras, etc. pelos contratos colectivos de trabalho, contra o desemprego e a repressão que recomeçou nas fábricas.
- A luta dos operários da Schimming, Antar, Jacinto, Texeuropa, Comec, Prometaliz e tantas outras, pelo direito ao trabalho e pela actualização e pagamento dos salários em atraso.
- A luta dos moradores pobres pelo prosseguimento do processo SAAL, contra os despejos, contra o julgamento e liquidação das Comissões de Moradores.
- Vemos ainda a luta da classe operária, dos camponeses e de todo o povo pobre contra a galopante subida do custo de vida, que está a tornar ainda mais miserável a situação de milhões de trabalhadores, à qual o governo anti-popular de Soares responde com um cabaz de promessas.
Camaradas:
A vida mostra-nos que só reforçando cada vez mais a nossa unidade e luta, conseguiremos melhores condições de vida e de trabalho.
O 11 de Março de 1977 e uma data que tem de ser comemorada na rua, demonstrando com a nossa força e vontade que não esta mos dispostos a pagar a crise da qual só os capitalistas e patrões são responsáveis.
No 11 de Março vamos demonstrar também que os crimes contra o povo nunca serão por ele esquecidos.
O Comité Regional "ESTRELA VERMELHA" do PARTIDO COMUNISTA PORTUGUÊS (RECONSTRUÍDO) apoia a MANIFESTAÇÃO promovida pelo MUP e chama a classe operária, o povo pobre, todos os anti-fascistas, patriotas e democratas a fazerem da MANIFESTAÇÃO do 11 de Março uma demonstração vigorosa da nossa unidade, luta e vontade de não aceitar jamais viver de joelhos.
- CONTRATOS COLECTIVOS CÁ PARA FORA JÁ!
- TRABALHO SIM, DESEMPREGO NÃO!
- CASAS SIM, DESPEJOS NÃO!
- BOMBISTAS PIDES E FASCISTAS PARA A PRISÃO!
- NÃO AO AUMENTO DO CUSTO DE VIDAI
- OS RICOS QUE PAGUEM A CRISE!

Porto, 3 de Março de 1977
Comité Regional "ESTRELA VERMELHA" do PCP(R)
PARTIDO COMUNISTA PORTUGUÊS (RECONSTRUÍDO)

TODOS À MANIFESTAÇÃO DO MUP
SEXTA-FEIRA, DIA 11 ÀS 19 H.
PRAÇA GENERAL H. DELGADO

Sem comentários:

Enviar um comentário