Translate

quarta-feira, 8 de março de 2017

1977-03-08 - 8 DE MARÇO DIA INTERNACIONAL DAS MULHERES - UMAR

8 DE MARÇO
DIA INTERNACIONAL DAS MULHERES

8 de Março foi há quase 100 anos o dia em que milhares de operárias costureiras da cidade de Nova Iorque entraram em greve, e muitas morreram na rua lutando pela jornada de 10 horas de trabalho.
8 de Março é hoje o Dia Internacional da Mulher, a data na qual, em todo o Mundo, se assinala de várias maneiras a luta das mulheres pela sua emancipação.
8 de Março de 1977 em Portugal é o dia em que nós as mulheres portuguesas não podemos deixar de nos reunirmos para discutirmos os nossos problemas, que são também os problemas da nossa Pátria.
Há quase 3 anos a aurora do dia 25 de Abril parecia anunciar um Portugal Novo. Esse dia trazia em si toda a esperança do nascimento de um filho muito querido. Hoje que vemos nós? Os PIDES que nesse dia fugiam como ratos da cólera do Povo passeiam-se nas ruas em liberdade e segurança! Bombistas continuam a ter campo livre para espalhar o medo e a insegurança! A droga e o crime espalham-se por obra de forças reaccionárias interessadas em perverter a nossa juventude! Os preços sobem em flecha prejudicando os que mais trabalham, mas não os ricos!
Vamos nós mulheres ficar caladas perante tudo isto? Vamos deixar que o «nosso» 25 de Abril morra às mãos dos reaccionários?
Não! A vida das mulheres nunca foi fácil. É feita de muito trabalho e de muito sacrifício e ainda não mudou apesar de todas as promessas. Aquelas que trabalham todo o dia e depois chegam ao lar onde as espera as tarefas domésticas e os filhos pequenos. Aquelas que passam tormentos para comprar tudo o que é necessário à família com salários insuficientes. As que choram por não ter onde deixar os filhos e às vezes os vêem morrer de desastre na rua ou por falta de cuidados médicos. As que passam uma gravidez inteira sem ir ao médico e têm os seus filhos sozinhas ou sem assistência médica. As que jovens e solteiras ficam abandonadas com um filho nos braços. As que são espancadas por maridos bêbados. Aquelas que na velhice depois de uma vida de sacrifícios têm uma reforma de miséria, ficam abandonadas sem um tecto que as recolha nem forças para trabalhar. As mulheres que têm ânimo para resistir a tudo isto saberão também resistir ao avanço do fascismo e aos ataques dos capitalistas!
Por estas razões e por muitas outras é que se formou a UMAR.
Somos uma organização unitária de mulheres. Unimo-nos e organizemo-nos para tentar dar resposta a esta situação indigna de escravas a que nos tentam submeter. Não somos um Partido político, mas entre nós há mulheres de vários Partidos. Se como nós queres ter uma palavra a dizer sobre todos os problemas que nos dizem respeito junta-te a nós. No dia 8 de Março vai ao núcleo UMAR do teu bairro ou da tua zona. Será lá que com vizinhas e companheiras de trabalho poderás discutir, poderás propor soluções e formas de luta de que todas sentimos necessidade.
Por um futuro melhor para nós e nossos filhos.
VEM CONTACTAR A U.M.A.R.
Escadinhas de S. Cristóvão, n.° 13, 2.°
LISBOA

Lisboa, 8 Março 1977
(União das Mulheres Antifascistas e Revolucionárias)

Silvas - C.T.G. scarl - Lisboa

Sem comentários:

Enviar um comentário